A QUESTÃO
PALESTINA

Curadores: Soraya Misleh e Reginaldo Nasser

Conheça um dos principais conflitos internacionais existentes na atualidade. A desproporcionalidade de forças e as estratégias de dominação utilizados por israelenses contra o povo palestino merecem uma grande discussão sobre o tema.

 Esse é um conteúdo elaborado sobretudo para as mentes inquietas, a assimilação de novos conhecimentos pode gerar desconfortos e crises.

Porque
escolhemos
este Assunto

Assista a apresentação
com o curador
 

OLÁ MENTES INQUIETAS!

Chegou a hora de apresentarmos um dos cursos mais relevantes e esperados da Pandora, um especial sobre a Palestina, haja vista que esse ano completa 70 anos da declaração unilateral de independência do Estado de Israel, agravando ainda mais um dos principais conflitos da atualidade.

Nesta edição convidamos para ser curadores deste conteúdo Soraya Misleh, jornalista palestino-brasileira, mestre e doutoranda em Estudos Árabes pela USP. Autora do livro "Al Nakba - um estudo sobre a catástrofe palestina". A professora coordena a Frente em Defesa do Povo Palestino e é membro da campanha BDS Brasil, importantes plataformas de resistência no qual teremos oportunidade de falar durante o curso.

Reginaldo Nasser, também curador deste curso, é referência no tema: Professor, Doutor do Departamento de Relações Internacionais da PUC(SP), Professor do Programa de Pós Graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas (Unesp, Unicamp e PUC), pesquisador do Instituto Nacional de Estudos Sobre os EUA (INEU) e líder do GECI - Grupo de Estudos Sobre conflitos Internacionais – escreve diversos artigos sobre Política Internacional, em geral, e sobre Oriente Médio em particular.

Quanto mais você estudar esse conflito, mais verá que há algo de errado no Reino da Dinamarca, melhor dizendo no Reino de Israel, sobretudo no que se refere às imagens e narrativas que chegam até nós pela grande mídia, sempre manipuladas e ou descontextualizadas, como um filme estrangeiro mal dublado. Veremos que a Questão Palestina é um gigantesco exemplo de cobertura midiática que se dá através basicamente da manipulação. Esse conflito nos é retratado como se fosse algo intrínseco à cultura e a região, colocando essa guerra como um problema milenar sem muitas perspectivas de paz, quando na verdade, a História revela que nunca houve nenhum tipo de conflito congênito histórico entre árabes e judeus.

Nesse sentido, o conteúdo desta Pandora vem para desmistificar esse conflito, a começar pelo fato de que não se trata de uma história complexa, ou ainda que Israel é um pequeno país cercado por um mar de árabes hostis, quando se trata, na verdade, da quinta maior potência nuclear do mundo, com mais de 300 ogivas nucleares. Como você verá nessa Pandora, qualquer pessoa é capaz de entender a disputa atual que existe na região. Não há novidades, trata-se de colonialismo. Nós, enquanto parte da humanidade, já vimos isso acontecer em todos os continentes do planeta com colonos chegando e expulsando diversos povos e etnias e, nesse aspecto, o sionismo não criou nada de novo. Entender o que Israel faz continuamente com a população nativa da Palestina é tudo o que há para ser entendido: trata-se de um povo que está sendo colonizado.

VAMOS COMEÇAR

A comunidade internacional, sob a hegemonia dos Estados Unidos e da Europa, falharam miseravelmente em conter as violações israelenses de direitos humanos. Não foram capazes de impedir Israel de construir os muros e os assentamentos apesar das decisões de cortes internacionais, incluindo a ONU, no sentido de considerar essa prática ilegal, além de um claro obstáculo contra a paz.

Como se não bastasse, Estados Unidos e Europa promovem todo tipo de suporte incondicional a Israel: militar, econômico, acadêmico, logístico e escolhem ignorar as toneladas de documentos comprovando as violações de direitos humanos contra o povo palestino. Manter esse suporte e garantir a impunidade de Israel demonstra apenas como que na realidade essas superpotências são complacentes com tudo que está ocorrendo, havendo um claro interesse em manter vigente esse regime de opressão. Sendo assim, se as maiores potências do mundo não são capazes de conter esse desequilíbrio, pelo contrário, o que o povo palestino pode esperar? Com quem eles podem contar? Vale dizer que Israel é um dos maiores violadores das Resoluções de Segurança ONU, sendo também de necessário destaque dizer que os Estados Unidos já usaram seu poder de veto em mais de 40 ocasiões para defender Israel quando este violou leis internacionais.

Hoje os palestinos vivem sob uma ocupação militar, há um exército estrangeiro que ocupa fisicamente sua terra e controla todos os aspectos das suas vidas. Os palestinos não são vistos como cidadãos, não possuem direitos, estão sob as regras dos militares e todas as leis são elaboradas de modo a impedirem que construam suas próprias casas.

5 estrelas

Conteúdo Mais Justificando

Faça parte do plano de assinatura do Justificando e tenha acesso ilimitado à plataforma Pandora

+MAIS JUSTIFICANDO
Acesso irrestrito às notícias artigos e programas do Justificando;
Revista Digital;
Acesso à todos os conteúdos da Pandora + Mais Justificando;
Conteúdos em vídeo com até 3 horas de duração por mês;
Workshop online com o curador do mês.
CADASTRO GRATUITO
Acesso irrestrito às notícias artigos e programas do Justificando;
Revista Digital;
Acesso à todos os conteúdos da Pandora + Mais Justificando;
Conteúdos em vídeo com até 3 horas de duração por mês;
Workshop online com o curador do mês.

+MAIS do que
uma assinatura,

Essa é a principal forma de manter o Justificando como mídia livre, ativista e independente.

Com esse pequeno valor mensal, além de todo conteúdo da plataforma Pandora, você está incentivando a produção de mais conteúdos em vídeo, como o programa "Coisas Que Você Precisa Saber" e produções jornalísticas progressistas que estão pautando a discussão na grande mídia.

Saiba mais
Djamila Ribeiro

“O Justificando é sem dúvidas um dos espaços mais plurais e necessários para o pensamento crítico no Brasil. Apoiar se tornou um ato de resistência!”

Por que fazer parte dessa história

fique por dentro

AVANÇAR NAS CONQUISTAS

O Justificando já se consolidou como uma mídia forte, progressista e ativa, entretanto há muito espaço a ser conquistado.

aprenda/especialize-se

CONTEÚDO DE QUALIDADE

Essa é uma oportunidade de incentivar um conteúdo de qualidade e com temáticas que são importantes para pensar o tempo presente.

conteúdo premium

PRODUÇÕES INOVADORAS

Nós acreditamos que a comunicação e a educação são armas fundamentais para o desenvolvimento humano.

compartilhe

PENSAMENTO CRÍTICO

Este é o primeiro passo para construção de um espaço de pensamento crítico que dialoga com o ativismo e a academia.

Assine todos os conteúdos +MaisJustificando por apenas R$ 19,90/mês

Faça parte